Info-Angola

Você está aqui: Início
  • Decrease font size
  • Default font size
  • Increase font size
Educação PDF Versão para impressão Enviar por E-mail


Actualmente, esta província encontra-se em fase de construção, e de habilitação, especialmente pelos danos caudados pela guerra. Por consequência as infra-estruturas não oferecem as condições necessarias para o devido enquadramento escolar nesta província.


Assim, com vista a melhorar o nível de ensino na província, tem-se realizado seminários de capacitação pedagógica para elevação da qualificação dos professores.

No ano lectivo 2002, para os dois subsistemas de ensino de base foi possível matricular os alunos de acordo com mapa seguinte:

Visualizar

Tendo em conta a insuficiência de infra-estruturas e de recursos humanos, existiam neste sector  176.308 crianças em idade escolar fora do sistema de ensino e aprendizagem.

Existem para a cobertura do ensino e assuntos administrativos, na província um total de 3.020 professores, o que é irrisório para o número de alunos que se encontram dentro do sistema de ensino:

Professores:2.564
Administrativos: 125
Auxiliares: 331

A rede escolar pública da província é formada de 199 escolas com 111 situadas na área urbana. O sistema de ensino está praticamente restringido ao município de Malanje, onde estão localizadas 69% de todas as salas de aulas disponíveis. Os municípios de Marimba, Kangandala, Kunda-ia-Baze e Massango apresentam valores muito altos do ratio alunos/sala de aulas o que é indicador de escassez de infra-estrutura escolar. O estado das infra-estruturas escolares na cidade de Malanje apresenta um elevado índice de degradação, com excepção de algumas escolas recentemente construídas ou reabilitadas, quer pelo Governo, quer por ONG’s ou organizações religiosas. O equipamento escolar é quase inexistente e o material escolar depende grandemente do UNICEF, ONG’s e organizações religiosas. Nos municípios a situação é de destruição quase total. A recuperação de algumas infra-estruturas escolares previstas no Programa de Investimentos Públicos nunca chegou a ser materializada. Em 1992 foi inaugurado um Instituto Médio de Agricultura que, entretanto, foi destruído. A sua reconstrução foi iniciada no ano 2001 com fundos ao Orçamento Geral do Estado, mas está a processar-se de forma lenta. Existe em Malanje um Instituto Normal de Educação com cursos de Biologia/Química, Geografia/História e Matemática/Física. No decorrer do ano de 2002 foi aberta uma secção do Instituto de Ciências Religiosas de Angola (TCRA) para formação de educadores sociais com equivalência de nível médio. A Direcção Provincial de Educação estabeleceu uma parceria com a ADRA (ONG angolana) para a superação pedagógica de 908 professores do ensino de base (1° nível). No quadro da expansão do ensino universitário público está prevista a criação de uma Escola Superior Politécnica especializada no ensino no ramo agrário, na perspectiva do aproveitamento conjunto das instalações do Instituto Médio Agrário.

Em termos de formação profissional existe um programa para os desmobilizados que tem como parceiros o Instituto de Reinserção Social dos ex-Militares (IRSEM) as Direcções Provinciais da Agricultura e Desenvolvimento Rural, as Obras Públicas, a Saúde, a Assistência e Reinserção Social e os Transportes e Comunicações. No âmbito da reconversão profissional está previsto um programa de formação nas áreas de carpintaria, alfaiataria, mecânica, serralharia, marcenaria e construção, que visará, também, as possibilidades de auto-emprego. No mês de Abril de 2004 foi inaugurado um centro de formação nas antigas instalações da Obra Social de Maxinde. Adstrito à Direcção Provincial do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) funciona um Centro de Formação e Treinamento, onde são capacitados os técnicos em termos da preparação das campanhas agrícolas. A formação de novos técnicos básicos está paralisada por falta de enquadramento dos formandos nos termos da reforma administrativa e da reconversão de carreiras em curso. Existem outros três centros de formação públicos: Centro de Formação Básica de Docentes, Escola Técnica de Enfermagem (que suspendeu a sua acção por saturação do mercado de trabalho) e o Centro de Formação Profissional Ambulatório do Instituto Nacional de Formação Profissional (INAFOP). No sector privado existem duas escolas de informática e uma de contabilidade e gestão. Ligados à Igreja Católica existe o Lar do Gaiato, que procura apoiar crianças de rua, órfãos e outras crianças. A ADRA também possui um centro para formação de técnicos ligados ao desenvolvimento comunitário e de agricultores.